Setor de panificação maranhense é beneficiado com projeto para aumentar a competitividade

38

Programa vai proporcionar formalização profissionais

A indústria de panificação maranhense ganha mais um aliado para aumentar sua competitividade, com a chegada do projeto “Ação Especial Setorial no Segmento de Panificação”, uma parceria da Superintendência Regional do Trabalho (SRTb/MA), Federação das Indústrias (Fiema),  Serviço Social da Indústria (Sessi), Serviço Nacional da Indústria (Senai) e Sindicato das Indústrias de Panificação e Confeitaria de São Luís (Sindipan)  e de Imperatriz (Sindipan/Cimp). Também participam da ação, o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Maranhão (Sebrae-MA), Conselho Regional de Contabilidade do Maranhão (CRC-MA), Superintendência de Vigilância Epidemiológica e Sanitária do Município (SVES/SEMUS).

A ação pretende diminuir a informalidade nas padarias maranhenses, garantir o ambiente de trabalho livre de acidentes e adequar o registro das empresas na Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) de empresas para industrial, uma vez que muitas das empresas do setor estão registradas apenas como comércio e não como indústria.

“Essa ação visa apoiar o empreendedor panificador que sofre com as adversidades do exercício da atividade como: acidentes de trabalho, adoecimento e a informalidade. Com o apoio da FIEMA e de todas as entidades aqui presentes, vamos ter sucesso nessa ação e os panificadores poderão usufruir os benefícios da formalização da sua atividade”, declarou o superintendente regional do trabalho no Maranhão, Álvaro Melo Veloso.

O 1º secretário da Fiema, Pedro Robson Holanda, disse durante o evento, que o programa vai proporcionar a formalização de muitos profissionais. “Será realizada uma fiscalização assistida, com apoio aos panificadores que receberão capacitação e orientações fundamentais para tornar o seu negócio mais rentável e produtivo”.

Para o superintendente da Fiema, César Miranda, o projeto vai alavancar o desenvolvimento do setor no estado. “Dessa maneira, esperamos que seja aumentada a renda, a produção e traga mais riqueza para o nosso estado. Nós queremos que a indústria da panificação tenha sucesso, seja mais competitiva e possa atender cada vez melhor o nosso mercado maranhense”.

Já o diretor regional do Senai, Raimundo Arruda, considera o programa uma iniciativa ímpar no Maranhão. “Estamos montando uma rede de sustentabilidade para trabalhar o engrandecimento do pequeno e médio industrial maranhense. Realizaremos um diagnóstico, a formação, capacitação profissional e o SENAI, como braço da FIEMA, traz essa perspectiva diferenciada no desenvolvimento de novas tecnologias para que se possa ter exatamente a melhoria da competitividade da nossa indústria de panificação”.

Ações – As Ações Especiais Setoriais (AES), que se destinam às micro, pequenas e médias empresas e aos trabalhadores da indústria da panificação, fazem parte das diretrizes da SRTb-MA para 2022. A fiscalização de máquinas e equipamentos do setor faz parte da iniciativa e contará com a participação de entidades representativas dos empregadores, dos empregados e outras entidades e instituições públicas e privadas que possam colaborar para a solução dos problemas diagnosticados, além de contribuir para interlocução entre os participantes.

No Diagnóstico Setorial Geral realizado pela SRTb-MA, por meio da Inspeção do Trabalho, a indústria de panificação, biscoitos e bolachas ocupa a 8ª posição no Índice de Gravidade e o 2º lugar na frequência que ocorrem adoecimentos e acidentes de trabalho. O diagnóstico analisou 73 setores econômicos do estado e atestou ainda que o índice de informalidade no trabalho nesse segmento é de 48%.

O Fator de Risco Máquinas e Equipamentos do setor de panificação, de 51%, é considerado acima da média do conjunto de segmentos pesquisados. Esse tipo de risco deu causa aos acidentes de maior gravidade. Depois dele vem o Fator de Risco Energia Elétrica, com 25% dos acidentes com afastamento no setor.