Setor de Serviços contribui com 86% dos empregos no Maranhão em maio

0
916

AQUILES EMIR

O Setor de Serviços contribuiu com 86,84% dos empregos preservados no Maranhão no mês de maio, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta quarta-feira (20) pelo Ministério do Trabalho. De acordo com os números, foram preservados no Maranhão, mês passado, 2.075 postos de trabalho, sendo que destes, 1.802 foram das empresas prestadoras de serviços.

Dentro deste segmento, as empresas de hospedagem, gastronomia, reparação, manutenção e redação responderam com 1.225 empregos, o que representa uma participação de 59,03% no geral e de 67,98 no seu setor. Já as empresas do sistema financeiro tiveram saldo de 12; as de transportes e comunicação, 170; as de serviços médicos, odontológicos e veterinários, 320; e as de ensino, 99. Apenas imobiliárias tiveram saldo negativo: -24.

Para o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio), José Arteiro da Silva,  os números refletem o que a entidade já havia projetado na pesquisa de intenção de consumo para o Dia das Mães. “Um em cada quatro ludovicenses demonstravam interesse em comemorar a data, sendo que 29,6% indicaram iriam a shopping center, cinemas e restaurantes”.

Para ele, as contratações nos subsetores de alojamento e alimentação tendem a permanecer nessa perspectiva de crescimento no mês de junho. “Com as festividades juninas, Copa do Mundo e Dia dos Namorados no mês de junho, nossa expectativa é que o setor de serviços apresente novamente um momento favorável para as contratações”, ressalta.

Já o presidente do Sindicato Empresarial de Hospedagem e Alimentação do Maranhão (Sehama), Paulo Coelho, diz que os números precisam ser melhor analisados, pois não tem informações de que esteja havendo grandes contratações em hotéis, pousadas, motéis, restaurantes, bares etc. O mais correto, segundo ele, seria creditar esse desempenho a empresas de manutenção e reparação, que estão dentro da segmentação do setor que representa.

Comércio – Quanto ao Comércio, que teve saldo negativo de 383, sendo -302 das empresas varejistas e -81 das atacadistas, José Arteiro diz que esse desempenho é normal, faz parte da acomodação do mercado de trabalho, tendo em vista que gerou muitas nos primeiros meses do ano, ainda como reflexo das festas de Natal e Réveillon, bem como do Dia das Mães e, após esse período, com a queda natural da demanda o empresário precisa readequar o quadro de funcionários.

“Após o segundo domingo de maio, passado o pico de vendas motivado pelo Dia das Mães, é necessário readequar as despesas às receitas, por isso tem-se esse momento de desaceleração do mercado de trabalho no mês passado”, analisa.

 

FAZER BOXE

Desempenho por setor na geração de empregos no Maranhão no mês de maio:

 

Setores de Atividade Econômica Saldo de Maio de 2018
Variação Absoluta Variação Relativa (%)
Extrativa Mineral -3 -0,22
Indústria de Transformação 24 0,07
Serviços Industriais de Utilidade Pública – SIUP 335 4,76
Construção Civil 62 0,16
Comércio -383 -0,26
Serviços 1.802 0,94
Administração Pública 3 0,02
Agropecuária 235 1,04
Total 2.075 0,45

 

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação