Sinduscon e sindicatos de trabalhadores iniciam discussão de acordo coletivo de trabalho para 2023 no Maranhão

332

Setor é o maior empregador na indústria do Maranhão

A primeira assembleia do setor da construção civil para discussão da convenção coletiva de trabalho de 2023 ocorreu nesta quarta-feira, 14/12, na Casa da Indústria, sede da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema). Na pauta estão questões como reajuste salarial que acompanhe o índice da inflação e benefício de cesta básica aos trabalhadores.

O presidente do Sindicato das Indústrias da Construção Civil do Maranhão (Sinduscon-MA) e vice-presidente executivo da Fiema, Fábio Nahuz, lembrou que a negociação coletiva é um dos serviços mais importantes realizados pelo sindicato aos seus associados.

“As decisões tomadas aqui impactam 20 mil empresas maranhenses e 100 mil trabalhadores. O setor é responsável por 27% do Produto Interno Bruto (PIB) do estado”, disse Nahuz, reforçando a responsabilidade que o Sinduscon-MA tem na representação que exerce e da importância do setor para a economia do estado.

Uma outra reunião será realizada ainda este ano para análise das propostas encaminhadas pelos trabalhadores. O objetivo é que a convenção coletiva de trabalho seja feita na data-base do reajuste da categoria, que é em janeiro. As negociações impactam os trabalhadores da construção civil nas áreas de edificações, indústria, setor imobiliário e de obras públicas em todo o estado.

Além do Sinduscon, participaram ainda representantes de empresas, do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil, Construção Pesada, Montagem e Manutenção Industrial (Sindconstrucivil/MA) e da Federação dos Trabalhadores da Construção Civil e Construção Pesada (FETICEMA).

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui