Só o partido Novo abriu mão de sua parcela do Fundo Eleitoral, que seria de R$ 36 milhões

0
541

O partido Novo foi o único a abrir mão de sua fatia no bolo de R$ 2 bilhões para custear sua campanha eleitoral deste ano. O dinheiro já está disponível no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e a parcela que caberia à legenda, mais de R$ 33 milhões, vai ficar disponível no Tesouro, podendo ser utilizada em benefício de outros programas para a população.

“O Novo acredita que as campanhas devem ser financiadas, voluntariamente, por aqueles que acreditam nos partidos e nos candidatos que desejam apoiar”, diz a nota do partido, que segue abaixo na íntegra:

O Novo acaba de comunicar ao TSE a renúncia ao Fundo Eleitoral de 2020, assim como fizemos em 2018. Desta forma, estes recursos continuarão no Tesouro e poderão ser utilizados em benefício de toda a população.

Nesta eleição, teríamos direito a R$ 36 milhões em dinheiro público do Fundo Eleitoral para gastar com campanhas políticas. Porém, o Novo acredita que as campanhas devem ser financiadas, voluntariamente, por aqueles que acreditam nos partidos e nos candidatos que desejam apoiar. O dinheiro dos impostos dos brasileiros deve ir para serviços essenciais, como educação, segurança e saúde.

Em meio a uma grave crise econômica e fiscal, decorrente da pandemia do coronavírus, estes recursos se tornam ainda mais importantes.

Em 2020, o Fundo Eleitoral irá distribuir R$2 bilhões para financiar campanhas. Estes recursos poderiam ser utilizados para adquirir mais de 20 mil respiradores – equipamento essencial nos casos graves de covid-19 -, comprar mais de 26 milhões de testes de coronavírus, ou pagar o auxílio emergencial no valor de R$600, durante 3 meses, para 1 milhão de trabalhadores informais que perderam a renda devido a pandemia.

Esperamos que outros partidos sigam este exemplo e façam sua parte, renunciando ao Fundo Eleitoral e ajudando no combate à pandemia e suas consequências.

Conte sempre com o Novo para fazer o que é melhor para o brasileiro.

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação