Superintendente da Fapcen profere palestra sobre soja na França

0
524

A engenheira agrônoma Gisela Introvini, superintendente da Fundação de Apoio à Pesquisa do Corredor Exportação Norte (Fapcen), sediada em Balsas, vai atuar como representante dos produtores rurais do Maranhão, Piauí e Tocantins na Conferência Anual da Associação Internacional de Soja Responsável (RTRS), a ser realizada dias 30 e 31 de maio, na cidade Lille (França), evento que reunirá palestrante de vários países.

No primeiro dia, o tema abordado é o cerrado brasileiro e os avanços na garantia de compromissos com o desmatamento zero e quais desafios ainda persistem; o crescimento do mercado de soja responsável e o que é preciso para aumentá-lo; os riscos sociais e as oportunidades de mudança, bem como podem ser enfrentados e como a certificação RTRS pode contribuir.

No segundo, o conteúdo discutido será a plataforma da soja e como criar um espaço global e comprometido com a soja responsável; e o incentivo a participação dos governos – as experiências do Norte e Sul do planeta, e quais práticas devem ser instituídas para acelerar o cumprimento dos acordos governamentais e abordagens jurisdicionais.

“Esperamos que a conferência deste ano ajude a criar uma visão unificada entre os participantes, para que todos os países envolvidos na cadeia de produção com a comercialização e utilização da soja possam transmitir uma única e simples mensagem – que a RTRS é uma das ferramentas mais importantes que temos para mitigar o risco agrícola, ajudar a promover o uso responsável do solo e da água e apoiar a preservação ambiental”, observa.

Ela ressalta que há muitos problemas urgentes na indústria da soja atualmente e, a alta produtividade no solo que costumava ser pobre e improdutivo, é um desafio real. “Agora podemos ver que sistemas inovadores de plantio, rotação e diversificação de culturas, estoques de carbono e avanços em biotecnologia no projeto de melhoramento de cultivares fizeram a diferença e mostraram um benefício real para as áreas em que a soja é cultivada”, comenta.

Sustentável – Representando a indústria, Madeleine Eilert é a Líder Global de Fornecimento Responsável de cereais, açúcar e soja da Nestlé. Ela é responsável por supervisionar o fornecimento ético dessas commodities nas cadeias globais de fornecimento da empresa. Em sua palestra, ela irá abordar como as empresas podem responder às questões levantadas no Manifesto Cerrado.

“Uma produção de soja sustentável e responsável é muito importante para mim e para o meu trabalho diário. Vivemos em um ecossistema frágil que só sobreviverá se todos entenderem os riscos e impactos de nossa vida moderna. Eu vejo e sinto os impactos da mudança climática todos os dias e é hora de agir. Todos nós precisamos respeitar o meio ambiente em que vivemos e as pessoas com quem trabalhamos, direta e indiretamente, nas cadeias de fornecimento dos produtos que consumimos”, ressalta.

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação