Suzano inaugura plataforma para produção de papel higiênico em sua fábrica de Imperatriz

0
2175

A Suzano Papel e Celulose inaugurou nesta quarta-feira (29), na sua unidade de Imperatriz, as plataformas para produção de papéis tissue (higiênicos). Simultaneamente à instalação da empresa de papéis sanitários, se instala no Maranhão a empresa satélite, Peroxido do Brasil. Esta empresa tem a missão de fabricar o insumo necessário ao processo produtivo dos papéis.

Nesta primeira fase de implantação, produzirá apenas os chamados “jumbo rolls” (bobinas gigantes de papel), sendo que parte dessa produção será destinada à fabricação de produtos de marca de supermercados e outros estabelecimentos nas regiões Nordeste e Norte.

Neste empreendimento, a Suzano investiu R$ 177 milhões, o que gerou mais de mil empregos diretos e indiretos durante as obras. Já a Peróxido do Brasil,  na implantação da mini planta (MyH2 O2) de peróxidos de hidrogênio,  investiu  mais de R$ 40 milhões. Essa unidade vai fornecer insumos para a Suzano, visando dar maior viabilidade ao abastecimento da matéria-prima.

O presidente da Suzano, Walter Schalka, ressaltou a importância dos investimentos realizados no Maranhão e da segmentação da filosofia da empresa para o desenvolvimento de sociedade plena.

“A nossa filosofia é que descobrindo, renovamos a vida. Precisamos continuar investindo para fazer uma cidade melhor.  A Peróxido, que está sendo inaugurada, é a terceira fábrica satélite que estamos operando, o que leva geração de emprego e desenvolvimento para o Maranhão.  Temos o investimento social e ambiental.  Não estamos gerando só emprego, estamos, também, contribuindo para uma sociedade melhor”, comenta.

Com capacidade para produzir 12 mil toneladas de peróxido de hidrogênio, o local contará com tecnologia avançada e será a primeira fábrica comercial do mundo, nesse modelo. “Hoje podemos dizer que contribuímos com um passo importante para que a Suzano assuma um posição estratégica no mercado nordestino de papéis para higiene, potencializando o segmento no Maranhão”, ressaltou o secretário de Estado de Indústria, Comércio e Energia, Simplício Araújo.

Presente à solenidade, o governador Flávio Dino disse que essa expansão vai contribuir para a verticalização da cadeia produtiva, ingressando para além do segmento de celulose. “A partir de agora a Suzano passa a produzir o papel de vários setores, o que agrega empregos, tributos para o nosso estado, que é o núcleo da responsabilidade social de uma empresa”, celebra o governador Flávio Dino.

Peróxido  – A Peróxido do Brasil é líder do mercado de peróxido de hidrogênio na América do Sul e o investimento é uma conveniência transacional, de sustentabilidade e redução de riscos, já que a empresa faz mais de mil viagens de Curitiba a Imperatriz, por ano, para abastecer a fábrica de celulose da Suzano.

O peróxido de hidrogênio é um insumo químico com larga aplicação em diversos mercados, com destaque para indústria de celulose e papel. É empregado na etapa de branqueamento da pasta de celulose.

Suzano – A Suzano Papel e Celulose é a segunda maior produtora de celulose de eucalipto do mundo e a maior fabricante de papéis de imprimir e escrever da América Latina. Como subsidiária da Suzano Holding e parte do Grupo Suzano, reúne mais de 90 anos de tradição com o que há de mais moderno de tecnologia para a indústria de papel e celulose. Possui cinco unidades industriais no Brasil, escritórios internacionais em seis países e estrutura de distribuição global preparada para abastecer mais de 60 países.

Produz, além de Celulose, Papéis de imprimir e escrever revestido e não revestido e de Embalagens, Tissue (papéis para fins sanitários), celulose Fluff (fraldas e absorventes higiênicos), e Lignina (subproduto da fabricação de celulose que pode substituir derivados de petróleo em aplicações de alto valor).

(Com dados da Secap)

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação