Teatro e balé integram oitava semana de programação virtual do Centro Cultural BNB

0
71

A classificação é livre e são compostas por 120 projetos

A oitava semana de programação virtual do Centro Cultural Banco do Nordeste inicia nesta quarta-feira, 21, com o espetáculo de balé “Etéreo” e a peça musical “Mamulengofolia”.

De quarta a sábado, apresentações que envolvem artes cênicas, artes visuais, música e atividades infantis serão exibidas por meio do canal Centro Cultural Banco do Nordeste no Youtube, a partir das 16h, reunindo grupos e artistas individuais dos nove estados do Nordeste e do norte de Minas Gerais.

As atrações são de classificação livre e compostas por 120 projetos, selecionados via edital de chamada pública, nas modalidades “Performance artística” e “Formação”.

Confira a programação de 21 a 24 de outubro:

Quarta-feira (21) – Artes cênicas

  • 16h – Sal, menino mar em casa – Grupo de Teatro Facetas Mutretas e Outras Histórias (Natal, Rio Grande do Norte) – Peça de teatro infantil com reflexões sobre o comportamento humano e a conscientização socioambiental, abordando o descarte de lixo e suas inter-relações. O cenário, o figurino e os adereços são produzidos com materiais reciclados.
  • 17h – Etéreo – Instituto de Dança Goretti Quintela (Fortaleza, Ceará) – Espetáculo em homenagem à bailarina Goretti Quintela (in memoriam), referência da dança clássica no Ceará. A performance conta com três elementos: musicalidade, expressividade e virtuosismo; exibindo domínio técnico com movimentos harmoniosos, elegância e leveza.
  • 18h – Mamulengofolia – Oficarte Teatro e Cia (Russas, Ceará) – Produção inspirada na literatura de cordel, que conta a saga de Valentim e sua trupe mambembe em viagem por feiras, comprando e vendendo histórias sobre lugares remotos e tempos distantes. Em sua carroça, ele fala sobre reinos encantados, dragões, coronéis, vaqueiros e bois dançadores.

Quinta-feira (22) – Artes visuais

  • 16h – Videoinstrumentalismo – Valentino Kmentt (Fortaleza, Ceará) – Apresentação do artista visual Valentino Kmentt sobre a disciplina de videoinstrumentalismo, vertente do audiovisual que trabalha com criação e manipulação de imagens em tempo real, a fim de originar novas narrativas próprias.
  • 17h – Histórias guardadas em casa – Ana Vitória Almeida (Fortaleza, Ceará) – Conjunto de trabalhos inspirados em textos de Ana Vitória Almeida e Yuri Marrocos. Tem como ponto de partida o estudo do corpo em locais aprisionados, incentivando o olhar para dentro de si e para o convívio com os espaços em casa.
  • 18h – Fiando o cordão – Eduardo Queiroga (Recife, Pernambuco) – Curta-metragem sobre o processo de criação e produção do livro de fotografias “Cordão”, de Eduardo Queiroga. A obra ilustra a história das parteiras tradicionais, em Pernambuco, com uma narrativa pessoal e livre.

Sexta-feira (18) – Música

  • 16h – Raphael Costa, de casa – Raphael Costa (Recife, Pernambuco) – Performance de canções criadas pelo cantor e compositor pernambucano Raphael Costa no período de isolamento social devido à pandemia do novo coronavírus. O repertório traz músicas que dialogam com esse momento, como “Certas Incertezas”, “Amparo”, “Forte”, “Cuida”, “Assobio” e “Quand Je Chant”.
Dudé Casado é atração de sexta-feira
  • 17h – Estúdio casa de pedra – Dudé Casado (Juazeiro do Norte, Ceará) – Integrante do cenário do rock regional, o cantor, compositor e produtor Dudé Casado transforma suas poesias em canções concisas e vibrantes, com um show que mescla rock, folk, psicodelismo e literatura de cordel.
  • 18h – Cantando repente – Felipe Pereira (Natal, Rio Grande do Norte) – O artista Felipe Pereira aborda a cantoria de viola e a arte do improviso repentista, apresentando linguagem simples e transformando situações cotidianas em versos rimados.

Sábado (24)

  • 16h – Nkala e o vento – Edivaldo Batista (Fortaleza, Ceará) – O ator e contador de histórias Edivaldo Batista utiliza da narração e de bonecos de cabaça para retratar a aventura de uma menina que vai em busca do vento, englobando referências de mitos, lendas e fábulas africanas em seu roteiro.
  • 17h – Itans que encantam – Cia de Theatro Elementos (Salvador, Bahia) – A Companhia de Theatro Elementos traz contos inspirados na cultura africana e direcionados ao público infantojuvenil. Na língua iorubá, a palavra “itans” significa conjunto de mitos africanos, envolvendo rituais, danças e ensinamentos.
  • 18h – Oxum e seu mistério – Lia Franco Braga (Fortaleza, Ceará) – Narração do conto “Oxum e seu mistério”, do livro OMO-OBA: Histórias de Princesas, de Kiusam de Oliveira. Conheça a história da princesinha Oxum, menina doce, determinada e guerreira.
Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação