TJ realiza Balcão de Negociação para resolver pendências entre clientes e empresas

0
922

De de 3 a 7 de julho, o Tribunal de Justiça do Maranhão, realizará, no Shopping Rio Anil, em São Luís, o IV Balcão da Renegociação de Dívidas, a fim de resolver conflitos de clientes com instituições bancárias, concessionárias de serviços e empresas em geral. Durante o balcão, pessoas que estão em situação de inadimplência e negativadas no SPC e Serasa, poderão encontrar solução para as pendências financeiras de consumidores com bancos, empresas, instituições de ensino superior e concessionárias de serviços, que disponibilizarão stands para recebimento do público, no local do evento.

Na reunião com as empresas participantes, conduzida pelo coordenador do Núcleo de Solução de Conflitos, juiz Alexandre Abreu, estiveram representados o Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica, Banco da Amazônia, Companhia Energética do Maranhão (Cemar), Universidade Ceuma, Rio Anil Shopping, CEAP/MA, Companhia de Saneamento Ambiental (Caema), Lojas Gabryella e Banco Itaú.

O juiz Alexandre Abreu ressaltou a necessidade de as empresas apresentarem propostas que atendam aos anseios dos usuários. Ele apontou a possibilidade de utilização da plataforma digital, como ferramenta de facilitação no processo de mediação direta entre consumidor e empresa.

Para a advogada Fabianni Lima Serra, da Assessoria Jurídica da Cemar, o Balcão de Renegociação de Dívidas é uma iniciativa muito válida, que permite ao consumidor negociar, de forma flexível, suas pendências junto aos fornecedores. “A Cemar participou de todas as edições. É sempre uma experiência nova, um aprendizado em duas vias, para nós e para os consumidores”, enfatizou.

Números – A primeira edição do projeto foi realizada em São Luís, em novembro de 2015, com mais de quatro mil atendimentos e o registro de R$ 10 milhões em renegociações.

Em março de 2016, o Balcão foi realizado na Comarca de Imperatriz, com mais de R$ 2 milhões em acordos. Ainda em 2016 – entre os dias 27 de junho e 1º de agosto – as renegociações atingiram a cifra de R$ 4 milhões, com mais de quatro mil atendimentos, em São Luís.

(Com dados do TJ-MA)

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação