Um dia após governador comemorar “adesão” à proibição, povo volta às ruas em pleno lockdown

2
1973
Na cidade Operária movimento de pessoas e veículos foi intenso nesta terça-feira

AQUILES EMIR

Um dia após o governador Flávio Dino ir às emissoras de rádio e televisão, bem como às redes sociais, agradecer à população pelo esvaziamento das cidades atingidas pelo rigor das normas do lockdown, o que ele classificou de “adesão”,  em diversos pontos de São Luís houve nesta quarta-reira (06) uma movimentação intensa de pessoas nas ruas (de carro ou a pé), em mercados, supermercados e até mesmo em estabelecimentos comerciais, que, pelo seu decreto, estariam proibidos de funcionar. Isto representa um desafio maior do poder público na fiscalização nos próximos dias.

Na Cidade Operária, como mostram imagens da TV Mirante (Globo), foi um dos que registraram maior movimento, com suas ruas avenidas registrando trânsito pesado, causando até engarrafamento devido ao grande número de feirantes e consumidores no principal mercado popular do bairro. Ali, não apenas alimento era comercializado, mas roupas, produtos importados, plantas, bebida alcoólica etc.

Até mesmo na parte central da cidade, onde foram montadas barreiras nas principais vias e pontes, que serviram de imagens para mostrar efeitos das medidas ao Brasil, o número de carros nesta quarta-feira (06) já foi bem maior no que no dia anterior, mesmo com boa parte dos estabelecimentos comerciais fechados.

Na terça-feira, ainda por volta do meio-dia, falando para diversas emissoras de rádio e TV do Maranhão e do Brasil, o governador comemorou a grande “adesão” do povo ao isolamento, muito embora a reclusão tenha sido mais por temor do forte aparato policial do que por espontânea vontade.

Aglomeração em mercado da Cidade Operária no segundo dia do lockdown

O governador fez questão de admitir que a medida não é sua, mas do Poder Judiciário, que atendeu pedido do Ministério Público, e ele apenou obedeceu as determinações do juiz Douglas Martins, da Vara de Interesses Difusos e Coletivos. O objetivo do isolamento, segundo o magistrado, é afastar as pessoas para que não transmitam o vírus e assim evitem um colapso nos hospitais.

Segundo o último boletim da Secretaria Estadual da Saúde (SES), o Maranhão registrou 291 óbitos. O número de casos confirmados passou de 5 mil, sendo que destes 1.215 se recuperaram. No estado ainda há 8.288 casos suspeitos e 5.598 foram descartados.

Com esses dados, voltou a preocupar a disponibilidade de vagas para tratar os infectados. Dos 161 leitos de UTI existentes na capital, 153, o que corresponde a 95,03%, estão ocupados, o que significa dizer que há apenas oito disponíveis. No interior dos estados, dos 81 leitos de UTI, 29 estão ocupados, o que corresponde a 35,80%, ou seja há disponibilidade de 52.

TAXA DE OCUPAÇÃO DE LEITOS DE UTI Covid-19
Total de leitos UTI 161
Leitos ocupados UTI 153
Leitos livres 8
% de ocupação UTI 95,03%

(Com imagens da TV Mirante)

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação

2 COMENTÁRIOS

  1. E o número de leitos!
    Tem como alguém acompanhar quantas vezes e quantos leitos esse governador informou que teria disponibilidade no Maranhão e que estava se antecipando!
    Hein?

Comments are closed.