“Vivemos a pior tragédia sanitária da história”, diz Carlos Lula quando Maranhão atinge 6.149 mortes

0
549

Foram mais 41 óbitos nas últimas 24 horas no estado

AQUILES EMIR

Nesta sexta-feira (02) em que o Maranhão chegou a 6.149 e o Brasil a 328.206 óbitos por covid-19, o secretário estadual de Saúde, Carlos Lula, que é também presidente do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass), admitiu que esta é a pior crise sanitária da história. De acordo com o boletim por ele divulgado, nas últimas 24 horas, foram 41 mortes a mais pela infecção no estado.

“Nem na minha pior projeção teríamos chegado a tanto”, disse o secretário em sua conta no Twitter,  ao exibir um gráfico que indica mais de 66 mil mortes no país em março, mês em que o Maranhão teve também números trágicos – mais de mil mortes – e admitiu: “Vivemos a pior tragédia sanitária de nossa história”.

O secretário não divulgou gráfico semelhante sobre a evolução da pandemia no seu estado, mas com certeza este foi o pior mês também para os maranhenses desde março de 2020.

De acordo com os números da SES, o Maranhão chegou, nesta sexta-feira  a 244,3 mil casos diagnosticados como infecção para covid-19. Já foram recuperados, segundo a Secretaria de Saúde, 222,1 mil e os pacientes ativos aknda são 6,1 mil.

Nas últimas 24 horas, foram registrados mais 145 casos na Ilha de São Luís (capital, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa), 27 em Imperatriz e 448 nas demais regiões do estado.

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação