VW Polo 2023 melhora visual e acabamento com preço menor

64

Frente ficou bem parecida com a do modelo europeu

Dentro de uma estratégia pragmática, a VW terá o total de 15 lançamentos até 2025 com motorizações aspirada, turbo e flex, híbridas e elétricas (estas importadas). Ampliação do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de São Bernardo do Campo (SP) prepara o caminho para o primeiro híbrido flex da marca alemã. Depois do Jetta GLI, o Polo 2023 é o segundo produto em quatro versões (MPI, TSI, Comfort e Highline) que chegam agora às concessionárias.

A frente ficou bem parecida com a do modelo europeu. Todo o conjunto de iluminação e sinalização dianteiras é a LEDs. Os faróis têm alcance de 130 metros, 80% superior às lâmpadas convencionais. As mudanças na parte traseira não seguiram a Europa e se limitaram a uma nova assinatura noturna das lanternas e poucos retoques.

No interior, o acabamento evoluiu com forração de tecido nas portas e descansa-braços dianteiros. Volante e alavanca do câmbio são iguais aos do Nivus. Versões de topo usam material sintético que imita couro nos bancos. Os dianteiros têm encostos de cabeça integrados ao encosto. O quadro de instrumentos é digital de 8 pol. e nas versões mais completas de 10,25 pol. Tela multimídia VW Play tem 10,1 pol. nas configurações superiores.

Além de carregamento de celular por indução, há duas conexões USB-C na frente e duas iguais para os passageiros do banco traseiro junto às saídas de ar-condicionado cujos comandos frontais são eletrônicos. Entre os compactos o Polo se destaca pela largura (1.751 mm) e distância entre eixos (2,566 mm) que garantem maior espaço atrás para pernas e ombros. Porta-malas de 300 litros fica dentro do padrão dos compactos.

Os motores disponíveis reduziram-se de três para dois, ambos flex de 1 litro e 3 cilindros. Um aspirado de 84 cv (E)/75 cv (G) e 10,3 kgf.m (E)/9,7 kgf.m (G) e outro turbo (TSI 170) de 116 cv (E)/109 cv (G); 16,8 kgf.m (E/G). As versões MPI e TSI vêm com câmbio manual de 5 marchas. Comfort e Highline, só com câmbio automático epicíclico de seis marchas. O motor TSI 200 de 128 cv (E)/116 cv (G) deixou de ser oferecido e assim os freios a disco nas rodas traseiras foram dispensados. Freios a tambor atrás e discos na frente dão conta do recado com folga.

Esse arranjo racional permitiu uma diminuição de R$ 5.900 a R$ 7.000 no preço do carro, o que não se via há muito tempo. As tabelas (exceto São Paulo) vão de R$ 82.990 a R$ 109.990.

Todos os Polo continuam a ser fabricados em São Bernardo do Campo (SP), inclusive o GTS com o motor mais potente da linha (250 TSI, 150 cv), que também receberá atualizações até o final do ano. Posso adiantar que Gol e Voyage encerram sua produção em dezembro deste ano na fábrica de Taubaté (SP) e o Polo Track tem início de produção na mesma cidade em fevereiro de 2023, chegando ao mercado dois meses depois.

Mustang é maior atração do Salão de Detroit – Depois de 113 anos, os organizadores do Salão Internacional do Automóvel de Detroit decidiram trocar o mês gelado de janeiro pelo calor de junho, em 2020. O motivo relevante, porém, foi escapar da concorrência da feira de eletrônica CES em Las Vegas, em janeiro, que começou a atrair fabricantes de veículos. Mas a pandemia da covid-19 obrigou o seu cancelamento. Em 2021 o evento mudou de nome (Motor Bella) e local (a 50 km do centro da cidade).

Em 2022 consolidou-se a ideia de tornar-se mais dinâmico. Num esforço para atrair o público há atrações paralelas ao ar livre como um pato inflável gigante, picapes-monstros esmagando carros, réplicas de dinossauros e festivais de música entre 14 e 25 de setembro. A exibição estática manteve a tradição. Na inauguração o presidente dos EUA, Joe Biden, reafirmou o apoio financeiro federal a 500.000 postos de recarga elétrica e a meta (não compulsória) de 50% das vendas de veículos novos elétricos em 2030.

A Ford antecipou a sétima geração do icônico Mustang que chegará às concessionárias americanas em julho de 2023 como modelo 2024 e no Brasil, seis meses depois. O carro aperfeiçoou o estilo já consagrado desde 1964 e reformulou o interior incluindo uma tela multimídia de 13,2 pol. Freio eletrônico de imobilização (auto-hold) tem uma pequena alavanca para facilitar manobras de drift (derrapagem sob potência controlada). É possível até ouvir o ronco do motor remotamente por meio de um botão no chaveiro.

Motor Coyote V-8 de aspiração natural, 5-litros, tem potência estimada de 500 cv: número exato só no lançamento. Além do câmbio automático de 10 marchas, terá opção de câmbio manual de seis. Haverá aumento de potência no motor turbo 4-cilindros de 2,3 litros. Outra novidade do Mustang é a versão Dark Horse (Cavalo Escuro, em tradução livre) para competições em que a Ford vai ingressar no próximo ano. O termo Dark Horse vem das corridas de cavalos em que um deles, não favorito, desponta e surpreende como ganhador. Pessoas que escondem habilidades e impressionam a todos com a sua inteligência também são conhecidas pela mesma expressão em inglês.

No balanço geral a participação de marcas não americanas quase acabou. Entre os lançamentos para o mercado local a nova picape Colorado deve inspirar a futura S10, mas não há data prevista. Ainda sem especificações o Jeep Avenger elétrico chamou atenção dentro da ofensiva do Grupo Stellantis de 70 modelos elétricos até 2030 entre suas 14 marcas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui