José Reinaldo diz que não volta ao grupo de Flávio Dino

0
2413

AQUILES EMIR

O deputado federal e ex-governador José Reinaldo Tavares (sem partido) em entrevista ao programa Entre Aspas”, da Rádio Educadora, sábado (03), disse que não saiu do grupo do governador Flávio Dino (PCdoB), foi posto pra fora. “Me botaram para fora e eu fui buscar outro caminho”, disse ele, garantindo que sua decisão não tem retorno, até porque agora está empenhado em outro projeto: eleger o deputado Eduardo Braide (PMN) governador.

Um dia antes, em Imperatriz, Flávio Dino, ao ser indagado sobre o assunto, disse lamentava ele (Zé Reinaldo) ter saído, e acrescentou que vai continuar mantendo a coerência do seu governo, que é de trabalhar contra as desigualdades e insinuou que Zé Reinaldo optou por um modelo de gestão que foi derrotado nas urnas, numa referência a um possível retorno ao Grupo Sarney, que perdeu a eleição de 2014 com Lobão Filho (MDB).

Zé Reinaldo declarou que o governador chegou a se reunir com o DEM e garantiu que ele seria um dos nomes a compor a chapa majoritária a ser encabeçada pelo PCdoB, como candidato ao Senado, porém nunca mais tratou do assunto e ultimamente nem atendia mais suas ligações nem o recebia no Palácio dos Leões. “Se ele fez isso comigo é porque é capaz de fazer com qualquer um”, desabafou.

Candidatura – Zé Reinaldo falou ainda sobre o encontro que teve com Eduardo Braide, sexta-feira (02), no Restaurante Cabana do Sol, cujo encontro foi registrado em foto postada nas redes sociais. Segundo ele, os dois conversaram sobre política e sobre projetos para mudar o Maranhão.

O ex-governador não escondeu que Braide manifestou desejo de concorrer ao Palácio dos Leões e os dois devem formar uma chapa com grandes possibilidades de vencer o pleito.

Segundo ele, como Braide é muito querido do povo de São Luís e admirado em todo o Maranhão, tem grandes chances ganhar a eleição e estaria pronto para ser um grande governador.

José Reinaldo chegou a tocar num dos pontos mais explorados no estado, o alto índice de pobreza. Para ele, enquanto o debate for para saber qual grupo político é responsável por esta situação o problema não se resolve, pois o que falta é pensar em solução e não em achar culpados. Ele diz que todos os governadores se esforçaram para livrar o Maranhão desses índices vexatórios, mas ninguém até agora conseguiu, justamente porque a questão não foi encarada técnica e cientificamente, e ele dispõe de estudos que atendem a esse anseio da população.

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação