Senadora Gleise Hoffmann garante que Lula é candidato a presidente

0
298

A presidenta nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann, afirmou nesta segunda-feira (16), em conversa com o apresentador Mário Kertész no programa Jornal Bahia no Ar!, diretor do acampamento de Curitiba (PR), que não há plano B para os petistas e seu candidato a sucessor de Michel Temer (MDB) continua sendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“Nós não temos alternativa, continuamos com a candidatura do presidente Lula e vamos registrá-la no dia 15 de agosto na Justiça Eleitoral. Faremos isso porque Lula é inocente e tem o direito de ser candidato. Isso não é um discurso político, estamos nos baseando na injustiça do processo que o condenou. Nunca é demais dizer para que as pessoas entendam que, para se configurarem os crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, para cometer o crime de corrupção passiva, a pessoa tem de estar investida de um cargo público, tem de ser um agente público, seja por via eleitoral, seja por via de concurso público”, disse ela.

Lula é acusado de ter recebido da OAS num momento em que não era mais presidente da República. Não tem fato específico que diga que ele cometeu algum ato ilícito dentro de cargo público. Como ia fazer corrupção passiva se não era mais presidente da República? E a lavagem de dinheiro teria se dado na compra de um apartamento que ele diz não ter comprado.

Pesquisas – Sobre a última pesquisa de opinião pública, realizada pelo Datafolha e divulgada domingo (15) pelo jornal Folha de São Paulo, a senadora disse que jornais tentaram dizer que Lula tinha caído nas intenções de voto, mas ele mantém vantagem sobre os demais candidatos, mostrando que a população o quer como presidente da República. “Seria um erro político o PT não ter Lula como candidato, ele é o único viável entre todos”.

Na pesquisa Datafolha, na Ipsos e na que vamos publicar na terça-feira (17), há uma divisão. “O país está dividido sobre essa opinião da culpa do Lula. Uma maioria dizendo que o presidente é culpado porque ele sofreu um processo de desconstrução politica pela mídia nacional e de acusação. Todos os dias o Jornal Nacional entrava e ainda entra na casa das pessoas. Temos um monopólio grande dizendo que Lula é culpado, que é ladrão, que é corrupto, e ele nunca teve o mesmo espaço para se defende. Nós nunca tivemos o mesmo espaço para explicar esse processo e como foi construída essa acusação”.

“Uma mentira repetidas muitas vezes acaba de tornando verdade na cabeça das pessoas, e como não temos contra-opinião, acham que isso é verdadeiro. Vemos o ódio semeado por conta desse tipo de jornalismo que não leva os dois lados, que incita a intolerância. Infelizmente, o Brasil chegou a isso fruto desse tipo de jornalismo que não é informativo para que as pessoas formem a sua opinião. Lula é tido como culpado por metade da população, mas temos de lembrar da outra metade que não o considera culpado,” completou a senadora.

(Com dados da Agência PT e foto de Joka Madruga)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui