No Pará, Bolsonaro inaugura trecho recuperado da Transamazônica e anuncia ponte sobre Xingu

0
225
(Novo Repartimento - PA, 18/06/2021) Presidente da República Jair Bolsonaro, durante assinatura da ordem de serviço para o início das obras da ponte sobre o Rio Xingu. 
Foto: Isac Nóbrega/PR

Presidente entregou títulos de terra para assentados

O presidente Jair Bolsonaro cumpriu agenda nesta sexta-feira (18) no Pará, onde participou da entrega de títulos rurais e da inauguração de um trecho asfaltado da rodovia BR-230, a Transamazônica. Na primeira atividade, em Marabá, região central do estado, foi feita a entrega simbólica de 50.162 títulos definitivos e provisórios de propriedade de terra.

A maior parte dos títulos (47.234) tem como beneficiários famílias assentadas da reforma agrária. Outros 2.924 títulos foram entregues a ocupantes de glebas públicas federais. A entrega foi simbólica e corresponde ao total de títulos emitidos nos últimos dois anos.

“Essas pessoas, agora, perfazendo um total de 50 mil aqui no estado, têm um pedaço de terra para dizer que é seu e de sua família”, afirmou o presidente, em  discurso. O presidente defendeu o direito de propriedade, chamando de “sagrado”.

Transamazônica – Após o evento em Marabá, Bolsonaro se deslocou para Novo Repartimento, a pouco mais de 180 km ao Norte. O município é cortado pela Rodovia Transamazônica (BR-230) entre os rios Tocantins e Xingu. O trecho asfaltado tem 102 quilômetros de extensão e liga Novo Repartimento a Itupiranga.

A cerimônia também marcou a assinatura da ordem de serviço para construção da ponte sobre o Rio Xingu. Atualmente, a transposição do rio pela Transamazônica é feita por meio de balsa. De acordo com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, a previsão é que a obra comece no ano que vem.

As obras no segmento de 102 quilômetros da rodovia estavam paradas desde 2013. As equipes do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) retomaram as intervenções em 2019, concluindo 56 quilômetros do trecho. Já a assinatura da ordem de serviço da ponte permitirá a elaboração do projeto básico da obra, que tem início previsto para 2022.

Participaram da cerimônia que marcou a conclusão do trecho o presidente da República, Jair Bolsonaro, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e o diretor-geral do Departamento Nacional de Transportes (DNIT), general Santos Filho. No evento, também foi assinada a ordem de serviço para início das obras da ponte sobre o Rio Xingu, cuja travessia é feita por balsas. O valor total das obras é de R$ 428,6 milhões e afirma o compromisso do Governo Federal em concluir obras inacabadas e investir na integração da Região Norte.

A entrega deste empreendimento faz parte do pacote de obras anunciado pelo MInfra para o segundo semestre deste ano e que acabou sendo concluída antecipadamente. A obra de integração regional vai possibilitar a conexão do interior do Pará com os grandes centros e trazer melhores condições para o escoamento da produção regional, como madeira e cacau, além de reduzir o tempo de viagem e do valor do frete. A expectativa é que revitalização da via beneficiará cerca de 500 mil pessoas no interior do Pará.

Rio Xingu – Outro importante anúncio para a região Norte foi a assinatura da ordem de serviço de R$ 202 milhões para as obras da ponte sobre o Rio Xingu. Serão beneficiadas cerca de 300 mil pessoas, que dependem de balsas para a travessia, trazendo mais economia, rapidez e segurança no percurso. A primeira etapa das obras consistirá na elaboração do projeto da ponte. O canal de navegação será de 28 metros, medida a partir do nível máximo do rio. O vão navegável terá 320 metros de largura e foi estabelecido para uma lâmina d’água de pelo menos seis metros em relação ao nível mínimo do rio.

Concluído e aprovado, a expectativa é que sua construção tenha início em 2022, com prazo estimado de execução de dois anos. A obra será importante para a ligação das regiões Tapajós, Xingu e Carajás, além de passar por cidades como Santarém, Altamira e Marabá. A região se destaca pela produção de cacau, de soja, de gado, de minérios e outras atividades com impacto direto no Produto Interno Bruto (PIB) nacional.

(Agência Brasil)

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação