Federação da Agricultura comemora erradicação da febre aftosa

0
410

A  Federação de Agricultura do Maranhão (Faema) reuniu, semana passada, os presidentes de sindicatos rurais,  em assembleia extraordinária,  para debater assuntos pertinentes  ao setor rural maranhense que envolve a categoria e celebrar  o Dia A, como parte da programação da Semana Brasil Livre da Aftosa, realizada em todo o país para comemorara a plena erradicação da doença.  A ação  foi uma iniciativa do Ministério da Agricultura, Abastecimento e Pesca (Mapa), com o apoio da   Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA),  que mobilizou suas administrações regionais – produtores rurais e entidades representativas do setor rural para celebrarem juntos essa grande conquista.

A Certificação Oficial de que  100% do território nacional são reconhecidos como livre da doença com vacinação, será conferida  ao Brasil, em cerimônia realizada em Paris (França), favorecendo ainda mais a abertura de novos mercados internacionais para o produto brasileiro. Outro passo importante será a última etapa de erradicação da doença, com aplicação da zona livre de febre aftosa sem vacinação, programado para 2023, em todo o Brasil.

Resultado de imagem para aged.anchieta

Homenagem – Na oportunidade, o diretor-geral da Agência de Defesa Agropecuária (Aged-MA), Sebastião Anchieta, apresentou dados significativos sobre o combate  à febre aftosa no Maranhão. Segundo ele, em 2017 foram imunizados mais de 98% dos rebanhos bovino e bubalino. A porcentagem alcançada representa 7.530.569 animais imunizados em em 90.709 propriedades. Ainda de acordo com Anchieta, o Maranhão conseguiu também, pelo terceiro ano consecutivo,  manter os resultados acima de 98% de cobertura vacinal.

“Essa conquista é muito importante para todo o Estado e nos orgulha muito que o nosso trabalho tenha contribuído diretamente para esses índices. Continuaremos trabalhando em prol do desenvolvimento do Estado”, disse ao tempo que  enalteceu o trabalho do sistema Faema/Senar, liderado pelo presidente Raimundo Coelho. “Há também um grande participação da Faema e do Senar e de todos os sindicatos  que mobilizaram os produtores rurais para vacinar o seu gado”.

O presidente da Federação, Raimundo Coelho, credita o saldo positivo dessa campanha, em boa parte, aos produtores rurais que se empenharam para vacinar o gado, e também, às entidades parceiras do programa como Faema, Senar e outras, que se mobilizaram a  favor do alcance dessa erradicação. A Secretaria da Agricultura (Sagrima) e a Aged, segundo ele, se empenharam em executar a campanha na plenitude, em favor do fim da febre aftosa no Maranhão.

“É um dia importante, por isso trouxemos os produtores rurais e dirigentes sindicais do setor do agro para participarem desse momento, tanto na Faema quanto no Palácio dos Leões. Participar também do evento realizado pelo governo, completa esse objetivo de celebrarmos juntos, com todos os segmentos, esse grande momento para o Maranhão e Brasil”.

O produtor rural e presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Bacabal, Ramon Arrais, disse ser de fundamental importância o apoio da Federação no processo da erradicação, dando apoio técnico e ensinando  como o produtor deve  vacinar. “Todos fizemos o nosso papel, o produtor vacinou o seu gado e as entidades ajudaram com o incentivo técnico para que a febre aftosa fosse totalmente erradicada”, disse ele, entusiasmado com a conquista.

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação