Portos maranhenses movimentam mais de 40 milhões de toneladas

0
481

AQUILES EMIR

Os portos maranhenses movimentaram no primeiro trimestre deste ano, 46,3 milhões de toneladas, segundo boletim da Agência Nacional de Transporte Aquaviário (Antaq) e o destaque fica para o terminal da Ponta da Madeira, administrado pela Vale, que foi responsável pela movimentação de 40,4 milhões de toneladas, ficando em primeiro lugar no ranking geral do Brasil. O Porto do Itaqui, que é o sexto entre os terminais públicos, movimentou 3,2 milhões de toneladas e o da Alumar, oitavo entre os Terminais de Uso Privado (TUP), movimentou 3,7 milhões.

De acordo com os números da Antaq, os portos públicos e os privados movimentaram no Brasil 249,2 milhões de toneladas de janeiro a março. O volume representa uma queda de 0,5% (1,2 milhão de toneladas) em comparação com o primeiro trimestre de 2017.  Quando considerado apenas o volume da movimentação dos terminais privados, a queda foi de 2,3%, em comparação ao mesmo período do ano passado. Já nos portos públicos, foi registrado um crescimento de 3,2%. Os dados foram divulgados pela Antaq (Agência Nacional de Transportes Aquaviários) na última semana.

Entre os portos organizados que apresentaram crescimento na movimentação de cargas no período, em comparação ao primeiro trimestre de 2017, estão os de Paranaguá (PR), com 13,8%; Santos (SP), com 9,3%; Santarém (PA), com 31,4%; e São Francisco do Sul (SC), com 3,9%. Já entre os  que apresentaram queda estão Itaguaí (RJ), com redução no volume total de 4,6% e de 8,9% na movimentação de minério de ferro, sua principal mercadoria, e o de Vila do Conde (PA), com recuo de 20,7%.

Apesar da queda de 6,3% em relação ao primeiro trimestre de 2017, o minério de ferro representa o maior volume movimentado (87,5 milhões de toneladas), seguido pelo petróleo, com 48,7 milhões de toneladas (queda de 1,1% em relação a 2017). Os contêineres ficaram com a terceira colocação, com 26,4 milhões de toneladas e crescimento de 11,5%.

Os dez principais portos públicos em movimentação de cargas brutas operaram, aproximadamente, 72,2 milhões de toneladas, o que corresponde a 85,9% da movimentação total dos 30 portos públicos que registraram movimentos de cargas nesse primeiro trimestre de 2018.

O Porto de Santos movimentou, no período, 25,1 milhões de toneladas de cargas brutas, com destaque para o milho (com crescimento de 192,3%), pasta de celulose (74,1%) e contêineres (14,5%). Já nos terminais de uso privado, a movimentação de cargas registrou 165,1 milhões de toneladas brutas.

Navegação – A navegação de longo curso apresentou uma movimentação de 179,7 milhões de toneladas, queda de 1,9% em comparação com o 1º trimestre de 2017, sendo 33,6 milhões de toneladas de cargas de importação e 146,1 milhões de toneladas de cargas de exportação, com a última correspondendo a 81,3% do total movimentado.

A navegação de cabotagem movimentou 53,6 milhões de toneladas, representando uma queda de 0,9% em relação ao primeiro trimestre de 2017. Enquanto a movimentação de contêineres na cabotagem apresentou um crescimento de 12,8% no primeiro trimestre de 2018 em relação a igual período de 2017, a movimentação na navegação interior correspondeu a 14,5 milhões de toneladas, acréscimo de 20,6% em comparação ao movimentado no primeiro trimestre de 2017.

(Com dados da Antaq)

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação