PT acusa Bolsonaro de apoiar golpe para derrubar Maduro na Venezuela

0
514

AQUILES EMIR

Em nota publicada neste domingo (06) em seu site, o Partido dos Trabalhadores (PT) acusa o presidente Jair Bolsonaro (PSL) de estar apoiando a agenda política do presidente norte-americano, Donald Trump, que visa à desestabilização de Nicolás Maduro no governo da Venezuela. “Essa decisão agressiva do governo brasileiro demonstra que o nosso país já não tem mais política externa autônoma”, diz a nota do PT.

Assinada pela presidente nacional da legenda, senadora e deputada federal eleita Gleisi Hoffmann, e pelos líderes do partido no Senado (Lindbergh Farias) e na Câmara Federal (Paulo Pimenta), a nota acusa o governo brasileiro de estar participando de um golpe contra o governo venezuelano.

“Advertimos, por último, que tal agenda belicista deverá agravar o conflito interno da Venezuela, fragilizar a integração da América Latina, apequenar o Brasil e, muito provavelmente, ocasionar grave instabilidade em toda a nossa região”, diz a nota, que segue abaixo, na íntegra:

Nota do PT: Repúdio à posição de Bolsonaro em relação à Venezuela

PT e suas bancadas na Câmara e no Senado repudiam a posição subserviente do governo autoritário de Jair Bolsonaro de apoiar a agenda política de Donald Trump em relação à Venezuela, que visa desestabilizar o governo eleito daquele país e acirrar seu conflito interno.

A decisão do novo governo brasileiro de apoiar a recente declaração do Grupo de Lima, que não reconhece o mandato do presidente Maduro e incita a realização de um golpe de Estado na Venezuela, contraria as mais altas tradições da diplomacia do Brasil, que, atendendo aos princípios constitucionais da não-intervenção e da solução pacífica das controvérsias, sempre apostou no diálogo e na negociação como únicas formas de resolver o conflito interno daquele país irmão.

Essa decisão agressiva do governo brasileiro demonstra que o nosso país já não tem mais política externa autônoma, tendo-se alinhado acriticamente, e contra seus próprios interesses, à agenda geopolítica belicista e anti latinoamericana de Donad Trump.

Advertimos, por último, que tal agenda belicista deverá agravar o conflito interno da Venezuela, fragilizar a integração da América Latina, apequenar o Brasil e, muito provavelmente, ocasionar grave instabilidade em toda a nossa região.

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação