Sala do Projeto G@meduca inaugurada pelo Sesi atende 1.500 alunos em São Luís

0
1717

Foi inaugurada, sábado (24), em São Luís, a primeira sala do projeto Sesi G@meduca, onde 1.500 estudantes do 2º ao 9º ano do Ensino Fundamental da Escola Anna Adelaide Bello terão um upgrade nas aulas de Matemática e Português, com a utilização de notebooks e atividades virtuais. O espaço foi inaugurado pelo presidente da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema) e diretor regional do Serviço Social da Indústria (Sesi), Edilson Baldez, acompanhado da superintendente da entidade, Roseli Ramos, alunos, professores, pais e convidados.

Com a ferramenta, os alunos passam a operar um conjunto de softwares que integram as tecnologias da informação e comunicação aos processos de ensino e aprendizagem.

Implantado em abril em Bacabal e Imperatriz, o Sesi G@meduca beneficiará milhares de alunos no Maranhão, pois ainda será estendido para cinco escolas públicas da rede municipal, que serão “apadrinhadas” pelo projeto, recebendo gratuitamente, a formação de professores e o software. Em Bacabal, 600 alunos já utilizam o recurso e em Imperatriz, 500.

“Antes eu tinha que fazer a pergunta para a professora, agora, a gente também aprende brincando”, disse a estudante do 4º ano do SESI, Isis Hádria Carvalho, de 9 anos, interagindo com a tela, em um dos jogos disponibilizados na plataforma. “Achei muito legal, é uma nova oportunidade de aprender português e matemática”, completou.

A sala de aula do projeto é equipada com 20 notebooks para uso dos alunos, um microcomputador (desktop) para os professores e uma lousa digital, além do mobiliário (armários e mesas). Os estudantes terão aulas no SESI G@meduca duas vezes por semana.

A dona de casa Wolterliene Ribeiro, mãe da pequena Ana Luiza, de 9 anos, também participou da inauguração, acompanhando a filha. Para ela, o projeto é atual e vai contribuir para o aprendizado. “Principalmente com jogos, computadores, que são equipamentos que as crianças têm muita facilidade em usar”, comentou.

Edilson Baldez destacou os investimentos realizados pelo Sistema Fiema na qualidade do ensino das escolas da entidade em todo Maranhão, além do comprometimento dos professores. “A sala de matemática, a robótica, a formação musical, com as orquestras do SESI, têm refletido no desenvolvimento dos nossos alunos, que vêm conquistando prêmios por todo o Brasil, e ficamos muito felizes em contribuir com esses jovens, que são os nossos futuros profissionais”, afirmou.

Estiveram presentes à cerimônia de inauguração, o vice-presidente da Fiema, Cirilo Arruda, o representante da Secretaria de Estado da Educação, Manoel Pedro, o representante da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Rafael Costa, a representante do Sebrae, Raíssa Amaral, os ex-vereadores de São Luís José Joaquim e Prof. Lisboa, além do diretor regional do SENAI e superintendente do IEL, Marco Moura, da coordenadora de Educação do Sesi-MA, Ivaneide Giacomini, o coordenador de Saúde e Segurança no Trabalho do Sesi-MA, Allan Kardec Ayres, a gerente da Escola Sesi Anna Adelaide Bello, Regina Sodré e a gerente da Escola Sesi Presidente Médici, de Bacabal, Magna Nascimento.

A superintendente do Sesi, Roseli Ramos, explicou que o game educativo potencializa as aprendizagens de raciocínio lógico, cálculo matemático e língua portuguesa. “Considerando a responsabilidade de ser uma escola para o trabalho, voltada para competências de futuros gestores, empreendedores e trabalhadores da indústria, o Sesi-MA tem buscado a crescente qualificação de seus processos de ensino-aprendizagem e, por essa razão, está implantando em suas escolas esse software”, afirmou. A proposta do G@MEDUCA contribui para que os alunos desenvolvam consciência crítica e participativa, além das competências de leitura, escrita e cálculo”, explicou.

Prêmio – Além da inauguração da sala, o SESI aproveitou o momento para entregar medalhas aos alunos que se destacaram no Prêmio Canguru de Matemática, que rendeu à Escola Anna Adelaide Bello, uma medalha de ouro, uma de prata e cinco de bronze.

A pedagoga Cristina Cunha, professora do 1º ao 5º ano da escola, é só orgulho. “Percebemos a diferença na evolução deles. Nas salas, com uso dos games, da tecnologia, eles são muito mais participativos, chegam sempre alegres e se mostram muito interessados nos conteúdos”, explicou.

(Com fotos de Veruska Oliveira)

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação