Flávio Dino diz que Bolsonaro está desinformado sobre o Maranhão, onde quase tudo funciona

0
130

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), rebateu nesta terça-feira (28) a declaração do presidente Jair Bolsonaro ao comentar a proposta que recebeu para um pacto pelo emprego, de que ele (Dino) defende pacto pelo emprego, mas mantém seu Estado fechado. Segundo o governador, o Maranhão tem praticamente todas as atividades funcionando há semanas, numa menção ao fato de estarem praticamente todas as atividades econômicas retomadas.

“O presidente Bolsonaro, além de ironizar indevidamente o tema do desemprego, está desinformado sobre o Maranhão”, afirmou em seu Facebook. Flávio Dino frisou ainda que não considera o desemprego assunto para ser tratado com ironias.

“Espero que o presidente da República leve a sério a urgência de ações efetivas. É impossível tratar do tema no ‘cercadinho’ do Alvorada. Por isso, insisto na ideia do Pacto Nacional pelo Emprego”.

Nesta terça-feira (28), os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) apontam que o Maranhão teve saldo positivo na geração de empregos.

A carta assinada por Flavio Dino e enviada a Bolsonaro na segunda-feira (27), sugere “planejar com urgência medidas para o cenário” de crescimento do desemprego no segundo semetre. Ele propõe uma reunião liderada por Bolsonaro, com governadores, centrais sindicais e empresários a fim de evitar as demissões.

Proposta – No ofício enviado a Bolsonaro, o governador afirma que a pandemia causada pelo novo coronavírus impôs aos governantes desafios de ordem humanitária, sanitária e econômica sem precedentes.

“No Brasil, o último boletim Focus divulgado pelo Banco Central aponta uma estimativa de retração do PIB de 5,95% em 2020, a maior queda de nossa história. O desemprego no país subiu para 12,9%, indicando o fechamento de milhões de postos de trabalho com relação ao trimestre anterior, segundo dados divulgados pelo IBGE no último dia 30 de junho”, pontuou o governador no documento encaminhado ao presidente.

O governador lembra dado divulgado pelo IBGE que aponta que mais de 700 mil empresas fecharam as portas até a primeira quinzena de junho.

“Conforme entrevista publicada hoje, o Sr. Secretário de Política Econômica do Ministério da Economia antecipa que haverá crescimento da taxa de desemprego no 2º semestre. Precisamos planejar com urgência medidas para evitar o cenário projetado pela citada autoridade federal”, disse o governador ao sugerir uma reunião liderada pelo presidente com os governadores e os presidentes das confederações empresariais e centrais sindicais para a construção de um “Pacto Nacional Pelo Emprego”, com medidas emergenciais de geração de emprego e renda.

Ao final do documento, Flávio Dino afirma a importância da apresentação de propostas para proteção dos pequenos e microempresários, assim como um plano de obras públicas, indispensável para recolocar o país no rumo do crescimento.

(Com informações do R7 e portal Vermelho)

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação